Bruno Alves refuta acusações de Agostinho Oliveira

Bruno Alves refutou hoje as acusações do treinador Agostinho Oliveira que, no final do jogo com o Chipre, justificou os quatro golos no arranque da qualificação para o Euro2012 de futebol com a incompetência de uma defesa “habitualmente competente”.

Hoje, em conferência de imprensa, Bruno Alves falou na importância do coletivo e garantiu que, quando se perde, empata ou ganha, os méritos ou deméritos devem ser atribuídos ao grupo.

“Eu falo por mim. Quando ganhamos, ganhamos todos. Quando perdemos, perdemos todos. E, quando empatamos, é igual”, disse Bruno Alves, quando confrontado com as palavras do adjunto de Carlos Queiroz, que liderou a equipa na ausência do selecionador, suspenso.

O jogador disse que os jogadores perceberam já o que aconteceu de errado no encontro de sexta feira com o Chipre (empate 4-4 em Guimarães) e garantiu que o grupo “está determinado e com vontade” de dar a volta ao recente momento.

O defesa central do Zenit, da Rússia, garantiu que a equipa é a “voz de comando” e explicou que todos “valorizaram” o Chipre. “Mas, no futebol, acontecem coisas sem explicação”, sublinhou.

Bruno Alves insistiu na questão do coletivo ser o mais importante: “Quando ganhamos, a vitória não é só dos avançados e, por isso, o contrário também acontece”.

“O importante é estarmos preparados para este jogo. Temos consciência de que podemos fazer melhor. Não empatámos com o Chipre por falta de atitude. Simplesmente, não temos explicação para isso”, avançou.

O central pediu ainda o apoio “àqueles que querem apoiar” e disse que todos “estão com enorme vontade de ganhar e mostrar um bom futebol”.

Bruno Alves optou ainda por não comentar o “caso Queiroz”, por não ser o indicado para o fazer.

“A nossa preocupação é tentar contrariar aquilo que a Noruega vai fazer enquanto equipa”, concluiu.

Portugal e Noruega defrontam-se, na terça feira, em Oslo, no estádio Ullevaal, a partir das 20:30 locais (19:30, em Lisboa), no segundo jogo de qualificação para o Europeu de 2012, arbitrado pelo francês Laurent Duhamel.

 

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Foto: Lusa