FPF responde ao FC Porto e tenta encerrar 'caso Gabão'

A entidade sublinha que "é liderada de dentro para fora, independentemente de pressões" e que a sua

No mesmo dia em que o FC Porto emitiu um comunicado sobre o 'caso Gabão', a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) respondeu também em comunicado, tentando encerrar o assunto.

No documento, a entidade sublinha que "é liderada de dentro para fora, independentemente de pressões" e que a sua liderança "pensa pela própria cabeça".

Sem nunca referir o FC Porto, ou qualquer dirigente dos portistas, a FPF explica que o particular da seleção nacional com o Gabão foi organizado para tentar "obter receitas que lhe permitam cumprir a sua missão de defender os superiores interesses de todo o Futebol Português".

Comunicado da FPF:

"1 - A Federação Portuguesa de Futebol é liderada de dentro para fora, independentemente de pressões que sejam ou tentem ser feitas por quem quer que seja.

2 - Por haver na Federação Portuguesa de Futebol uma liderança que pensa pela própria cabeça e segue uma estratégia clara, a Selecção Nacional jogou fora do país, tal como fizeram outras grandes selecções mundiais, procurando obter receitas que lhe permitam cumprir a sua missão de defender os superiores interesses de todo o Futebol Português.

3 - A equipa técnica da Selecção Nacional, bem como todos os outros colaboradores da Federação Portuguesa de Futebol, respondem perante a sua Direcção e o seu Presidente, gozando de autonomia nas respectivas áreas de intervenção directa. Na Federação Portuguesa de Futebol, o Seleccionador Nacional convoca os jogadores que quer e coloca-os em campo de acordo com as suas ideias tácticas, durante o tempo que entende adequado.

4 - A Federação Portuguesa de Futebol proporciona as melhores condições de trabalho a todos os colaboradores e técnicos, nomeadamente ao Seleccionador Nacional, Paulo Bento, e apoia-o sem reservas.

5 - A Federação Portuguesa de Futebol agradece o entusiasmo crescente que os adeptos têm vindo a demonstrar à Selecção Nacional e apela à união em torno do objectivo comum a todos os portugueses sem excepção - a qualificação para o Mundial 2014.

6 - A Federação Portuguesa de Futebol não promove nem alimenta polémicas pelo que nem a FPF nem qualquer um dos seus colaboradores voltarão a pronunciar-se sobre este assunto."