Portugal-Finlândia (2-0): Estreia de sonho de Ruben Micael

Médio do FC Porto bisou num jogo em que a equipa das quinas esteve melhor do que com o Chile. A frag

Portugal venceu a Finlândia por 2-0, no último ensaio antes do decisivo Portugal-Noruega de 4 de Junho, a contar para a fase de qualificação do Euro 2012. E o homem do jogo foi Ruben Micael, ao bisar na sua estreia como internacional A.

Paulo Bento apresentou um onze com oito novidades em relação à partida com o Chile. Fábio Coentrão, Raul Meireles e Carlos Martins foram os únicos a manter a titularidade. Destaque para a estreia de Ruben Micael como internacional A.

Os escandinavos, posicionados no 78.º lugar do ranking da FIFA, adoptaram uma postura muito defensiva. Portugal começou em ritmo razoável e aos 6 minutos, Hugo Almeida esteve muito perto do golo, mas não chegou a tempo do cruzamento de Fábio Coentrão. Na génese da jogada esteve Danny, com um fantástico passe de letra a solicitar o lateral-esquerdo do Benfica.

Logo a seguir, Portugal chegou ao golo. A jogada começou numa excelente abertura de Carlos Martins para Hugo Almeida. O ponta-de-lança do Besiktas solicitou Quaresma, que quis rematar, mas assistiu involuntariamente Ruben Micael, que não perdoou perto da linha de golo. O médio do FC Porto não podia desejar melhor estreia ao serviço da selecção principal! Ou melhor, até podia, como se constataria no segundo tempo...

A exibição da equipa das quinas era agradável, com um futebol rápido e constantes trocas de posicionamento entre os elementos da frente, com Danny em plano de destaque.

Aos 23 minutos, esteve à vista o 2-0 e por duas vezes: Carlos Martins detonou uma 'bomba' de livre directo, que foi defendida para a frente pelo guardião finlandês. Na recarga, Hugo Almeida tentou o pontapé de bicicleta e a bola sobrou para Danny, que à boca da baliza atirou de cabeça por cima da barra

A nossa selecção dominava a bel-prazer, diante de um opositor fraco, mas a partir da meia-hora baixou claramente de ritmo. E aos 33' Varynen surgiu isolado diante do guarda-redes português, mas atirou por cima. Era a melhor fase dos visitantes, que aproveitavam para jogar no meio-campo luso, aproveitando o adormecimento e até alguma desconcentração da equipa de Paulo Bento.

 

Melhoria após o intervalo

O intervalo fez bem aos jogadores portugueses, que voltaram mais disponíveis e incisivos das cabinas. Já com João Moutinho em campo (rendeu Carlos Martins após o descanso) Fábio Coentrão fazia as suas habituais correrias pela esquerda e numa delas, aos 53' esteve quase a marcar. Logo a seguir, Hugo Almeida quis marcar de calcanhar, mas o remate saiu fraquinho. E até estava fora-de-jogo...

A meio do segundo tempo, Paulo Bento decidiu poupar Fábio Coentrão - tinha cumprido os 90 minutos com o Chile e há Benfica-FC Porto no domingo -fazendo entrar Sílvio para o seu lugar. E no meio-campo, Paulo Machado rendeu Raul Meireles. Nas duas primeiras vezes que tocou na bola, o médio do Toulouse podia ter marcado, mas não conseguiu desfeitar Fredrikson. Logo a seguir, Machado esteve bem melhor a assistir Nelson com um vistoso toque de calcanhar, mas o lateral do Osasuna permitiu a intervenção do guarda-redes dos visitantes.

Com Nani no lugar do apagado Quaresma a partir dos 69', Portugal continuou a dominar e a criar imensas oportunidades de golo. Bastou minuto e meio ao extremo do Manchester United para assistir Ruben Micael de forma primorosa! O médio do FC Porto voltou a ter apenas de empurrar para o fundo da baliza deserta. Curiosamente, numa partida em que até nem esteve particularmente inspirado, Micael acaba por marcar dois golos...

Nani trouxe a inspiração que faltou a Quaresma e fez o que quis dos pobres finlandeses. Até ao final, todo o jogo português passou pelo futebolista do Manchester United e chegou a cheirar a goleada... E ainda houve tempo para André Santos se estrear como internacional A.

 

FICHA DE JOGO