Selecção: FPF prepara-se para despedir Queiroz por justa causa


Selecção: FPF prepara-se para despedir Queiroz por justa causa
O futuro de Carlos Queiroz na Selecção vai ser abordado na reunião de sexta-feira da direcção da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e parece certo que os pares de Gilberto Madaíl estão decididos a despedir o treinador argumentando justa causa, depois de tantas polémicas.

O caso dos insultos à equipa do controle anti-dopagem no estágio da Selecção na Covilhã, que está em análise na FPF depois das conclusões do inquérito que recebeu do Instituto do Desporto de Portugal (IDP), é apenas um dos incidentes que envolveram o seleccionador nos últimos tempos. E poderá ser o "rastilho" que faltava para a Federação "atear" o despedimento do treinador argumentando justa causa.

O jornal Record assegura que «a decisão de despedir Carlos Queiroz parece já estar tomada – e por unanimidade». O desportivo salienta que todos os elementos da direcção da FPF já manifestaram ao presidente Gilberto Madaíl a «falta de confiança no seleccionador». O líder da estrutura já terá mesmo, de acordo com o diário, tentado junto de Queiroz a hipótese de uma rescisão amigável.

O seleccionador só estará ainda no cargo por causa da elevada indemnização que a FPF teria que pagar pelo seu despedimento - 3,5 milhões de euros. Para contornar a despesa volumosa, o Departamento Jurídico da Federação estará já a analisar se o inquérito aberto ao treinador, depois dos insultos aos elementos da Autoridade Antidopagem, será o bastante para rescindir por justa causa.

Já antes deste caso, o treinador das quinas tinha estado envolvido em várias polémicas, nomeadamente depois do Mundial da África do Sul por ter dito a um jornalista do Sol que a estrutura da FPF era «amadora». O seleccionador acusou o jornalista de ser «vigarista, desonesto, aldrabão e execrável», mas acabou por assumir a expressão, embora alegando que foi retirada do contexto.


Durante o Mundial 2010 houve o caso Deco que contestou as escolhas do seleccionador. E depois da eliminação das quinas nos oitavos-de-final, após derrota de 1-0 com a Espanha, foi Cristiano Ronaldo quem deu a entender que o seleccionador é que teria que explicar as razões do insucesso. Queiroz acabou por dar um "puxão de orelhas" público ao capitão da Selecção.

Antes do Mundial, Queiroz esteve envolvido num desentendimento público, com alegadas agressões à mistura, com o comentador desportivo Jorge Baptista.

São demasiadas novelas a envolver o nome de Queiroz que continua de férias em Moçambique e sem falar do seu futuro na Selecção. O treinador deverá voltar a Portugal em Agosto com vista à preparação da fase de qualificação para o Euro 2012. O primeiro jogo das quinas está marcado para 3 de Setembro contra o Chipre, falta saber se com Queiroz ao leme ou se com novo comandante...

Fotos: FIFA