Sporting 2-1 CSKA

O "leão" não perdeu o fôlego, não se deixou derrubar e venceu por 2-1 o CSKA

Foi com casa cheia que o Sporting recebeu o CSKA de Moscovo. O Sporting entrou bem na partida, confiante e dominador. Prova disso foi o golo madrugador, logo aos 12 minutos por Teófilo Gutierrez, após um brilhante passe de Carrillo, que rompeu pelas costas a defesa contrária. Aos 26 minutos, foi quase como se tivesse festejado um golo em alvalade, isto porque Rui Patrício defendeu uma grande penalidade a Doumbia, após falta indiscutível de Jefferson sobre Tosic.

Em vantagem, o Sporting deixou-se "adormecer" e aos 38 minutos Musa esteve perto do golo, que acabou por acontecer ao minuto 40. Em jeito de redenção do penalti falhado, Doumbia isolou-se, utilizou a velocidade que o caracteriza, contornou Rui Patrício e ainda pressionado por Naldo atirou para a "baliza aberta" e reestabeleceu o empate na partida. Antes do regresso aos balneários, houve ainda tempo para um remate perigoso de Musa. Empate a uma bola ao intervalo.

No regresso ao relvado de alvalade, o Sporting entrou claramente com vontade de dar a volta ao marcador. Perto do minuto 60, os "leões" pedem grande penalidade por falta sobre Bryan Ruiz, que o árbitro não marcou. Ficou um penalti por assinalar. Em contrapartida, o CSKA nunca esteve "apagado" do jogo, mostrou ambição, jogo ofensivo, que estava em Lisboa para vencer. Aos 68 minutos, Ignashevich esteve muito perto de conseguir o golo para a equipa de Moscovo, após canto convertido por Tosic, mas isolado falhou o alvo.

Aos 72 minutos, o Sporting volta a ter razões de queixa, com outro penalti que fica por assinalar: mão na bola dentro da área de Vasili Berezutski que fica por marcar. Aos 76 minutos de jogo, Jorge Jesus esgotou as substituições, fazendo entrar Gelson Martins e Carlos Mané, que renderam, respetivamente, Gutierréz e João Mário. Aquilani estreou-se com a camisola do Sporting aos 65 minutos de jogo, entrando para o lugar de Bryan Ruiz.

Mas como diz o ditado "a justiça tarda, mas não falha" e a verdade é que por todas as contingências do jogo o Sporting merecia levar a vitória. Slimani tratou então de assumir o papel de "justiceiro" e aos 82 minutos fez o 2-1 para os "leoninos", mas quem "serpenteou" a defesa adversária foi, como diz o nome, "La Culebra" Carrillo, que assistiu de forma brilhante o argelino. O Sporting parte assim em vantagem para a segunda mão, marcada para dia 26 de Agosto em Moscovo.

Notícias: Sporting