Sporting: 'Black out" travou fúria contra Pedro Proença

Dirigentes, jogadores e treinador do Sporting indignados com a arbitragem do árbitro lisboeta no Dra

Os responsáveis do Sporting ficaram indignados com a arbitragem de Pedro Proença no jogo com o FC Porto, mas não se manifestaram devido ao 'black out' que vigora em Alvalade. E também porque o clube ficou numa posição mais frágil em relação ao setor da arbitragem devido ao "caso Paulo Pereira Cristóvão".

São três as principais razões de queixa em Alvalade: o primeiro cartão amarelo mal mostrado a Onyewu, sendo que o central seria expulso quando ainda havia 0-0 no marcador; o vermelho a Polga no lance do penálti (os responsáveis leoninos alegam que havia dois jogadores na linha de golo, logo deveria ter sido mostrado o amarelo) e ainda um empurrão de Hulk a Pereirinha no lance que antecedeu o penálti.

De acordo com o jornal Record, ainda foi ponderada uma posição de força, mas Ricardo Sá Pinto preferiu conter-se. O treinador do Sporting, recorde-se, nunca criticou qualquer arbitragem nos três meses que leva como líder da equipa.

O único que se manifestou foi Elias, que na entrevista rápida à Sport TV considerou que "já faz parte prejudicar o Sporting".

Os dirigentes leoninos ainda têm na memória a arbitragem de Pedro Proença no Sporting-Marítimo, da terceira jornada do campeonato. Nessa partida, que os insulares ganharam por 3-2, o juiz lisboeta não viu uma grande penalidade sobre Schaars e anulou indevidamente um golo a Evaldo.

Notícias: Sporting