Sporting: Paulo Pereira Cristóvão acusado de sete crimes

Investigação ao 'caso Cardinal' resulta em acusação do Ministério Público. Saiba quais são os crimes

O Ministério Público acusou Paulo Pereira Cristóvão, ex-vice-presidente do Sporting, de sete crimes, dando seguimento às investigações da Polícia Judiciária a propósito do caso Cardinal.

Segundo a acusação, citada pelo jornal Expresso, o antigo dirigente é acusado de um crime de burla qualificada, outro de branqueamento de capitais, dois de peculato, mais um de devassa por meio informático, um de acesso ilegítimo e, por fim, um de denúncia caluniosa agravada – sendo a vítima desta o árbitro assistente José Cardinal.

Um sócio de Paulo Pereira Cristóvão na empresa de segurança que trabalhava para o Sporting foi também constituído arguido, com as acusações de burla qualificada, branqueamento de capitais e devassa por meio de informática.

Recorde-se que o caso começou quando o Sporting apresentou uma denúncia por suspeita de corrupção a José Cardinal, nas vésperas do Sporting-Marítimo que ocorreu a 22 de dezembro de 2011. As investigações da PJ terão deparado com uma cilada preparada por Pereira Cristóvão ao árbitro assistente, tendo o dirigente apresentado a demissão do clube de Alvalade em junho.

Notícias: Sporting