Paulo Bento: o Vitória foi um justo vencedor


Paulo Bento: o Vitória foi um justo vencedor
Paulo Bento resigna-se à derrota frente ao Vitória de Setúbal na final da Taça da Liga. Admitindo que o Sporting não fez um bom jogo, o treinador
de Alvalade nota que «o Vitória foi um justo vencedor». Quanto ao azar nos penáltis que se vem repetindo ao longo da temporada, Paulo Bento
refere que «por muito que se treine» são sempre «uma lotaria». Do lado dos sadinos, Carlos Carvalhal elogia o guarda-redes Eduardo,
salientando que «além de dar pontos, dá Taças».



Carlos Carvalhal era um homem entorpecido pelo gosto do triunfo no fim do jogo no Municipal do Algarve. No rosto do treinador não transparecia a alegria
depois de tanta tensão vivida durante uma final que só ficou decidida nos penáltis. O técnico revelava-se «satisfeito» com a sua equipa, notando
que teve «uma oportunidade muito flagrante para resolver o jogo» durante os 90 minutos, quando Cláudio Pitbull rematou ao poste de Rui Patrício.


Já depois de o Setúbal ter recebido das mãos de Hermínio Loureiro a primeira Taça da Liga, Carvalhal deixava cair umas lágrimas na emoção do triunfo. Isto
depois de ter concedido a Eduardo o elogio. O guardião defendeu 3 dos remates leoninos, o que permitiu a vitória sadina por 3-2.
Carvalhal repara que tem «um guarda-redes que, além de dar pontos, dá Taças».

Eduardo por seu lado prefere tomar o caminho da humildade. «Somos todos uns heróis hoje», apontava no término do jogo, realçando que «o
segredo esteve na população imensa
» de Setúbal que se deslocou ao Algarve para assistir ao jogo. «Foi Deus que esteve comigo», salientava ainda.

E o presidente da Comissão de Gestão do clube do Sado, Carlos Costa, nota que vencer este troféu é «ver renascer uma equipa, um nome, o Vitória
Futebol Clube, uma região
». O dirigente não esconde que o emblema tem ambições, mas «com os pés bem assentes no chão», frisa, notando que
os sadinos conhecem «bem a realidade» onde se inserem.


Quanto aos vencidos, Paulo Bento fala em «duas equipas que se respeitaram» e refere que «o Sporting tentou mandar mais no jogo». Mas
o treinador leonino assume que «o Vitória foi um justo vencedor». «Não fizemos um bom jogo», aponta, embora repare que o Setúbal só teve
«uma situação de perigo num lance de bola parada».

Sobre o azar que continua nas grandes penalidades, Paulo Bento assevera que estes lances «são sempre uma lotaria» e que «dependem muito
do estado emocional
» dos jogadores. Por isso atesta que é «uma situação difícil de controlar por muito que se treine».

Anderson Polga foi o primeiro jogador do Sporting a falhar nos penáltis e o defesa brasileiro lamenta o sucedido. «A gente sempre pensa em fazer
o seu melhor, infelizmente não fomos felizes novamente
», conclui.



Fotos: Lusa


Notícias: Taça da Liga