Conselho de Justiça mantém suspensão do Gil Vicente da Taça


Conselho de Justiça mantém suspensão do Gil Vicente da Taça
O Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) recusou o recurso apresentado pelo Gil Vicente quanto à suspensão do emblema da Taça de Portugal desta temporada. Além disso, os "galos" continuam impedidos de alinharem nos Campeonatos Nacionais de juniores e iniciados. É o "Caso Mateus" que continua a dar que falar com o emblema de Barcelos a considerar em comunicado que as atitudes da FPF «prejudicam seriamente os interesses do Gil Vicente». Num texto assinado pelo advogado dos gilistas, Pedro Macieirinha, lamenta-se que a estrutura «não promova os objectivos gerais que a actual Lei de Bases do Desporto lhe impõe como sejam a promoção e formação de jovens desportistas e promoção da defesa da ética desportiva».


O CJ salienta por seu turno num texto publicado no sítio da Internet da FPF que resolveu «julgar improcedente o recurso interposto pelo Gil Vicente em relação à suspensão de participação das equipas daquele Clube nas provas organizadas pela FPF». O Órgão da Federação alega ainda que, ao contrário do que a direcção dos gilistas alega, «o Gil Vicente não reunia as condições para participar no sorteio da III eliminatória da Taça de Portugal».
Pela parte dos "galos", Pedro Macieirinha refere no citado comunicado que «mais uma vez a FPF prejudicou, ilegalmente, o Gil Vicente FC, uma vez que não o incluiu no sorteio da prova rainha do futebol português sem qualquer justificação legal». O advogado do emblema de Barcelos fala em «má fé» da Federação, realçando que esta incentivou o clube «a recorrer aos Tribunais» e que a seguir o puniu «nove meses depois de o Gil Vicente ter recorrido ao Tribunal de Braga depois de saber que este já havia sido punido, pelo próprio CJ, por tal facto».

Notícias: Taça de Portugal