FC Porto conquista 15ª Taça de Portugal


FC Porto conquista 15ª Taça de Portugal
O FC Porto derrotou o Desportivo de Chaves por 2-1 e repete a vitória na Taça de Portugal, título que também conquistou na época passada. É o 15º troféu do historial dos dragões, igualando o número de Taças conquistado pelo Sporting, mas ficando ainda com menos nove do que o Benfica.




No Jamor os da Invicta estiveram a ganhar por 2-0 com golos de Freddy Guarín (13') e Falcao (23') e podiam ter alargado a vantagem. Mas não conseguiram marcar mais e permitiram a Clemente reduzir a desvantagem do Chaves aos 85 minutos. A formação portista acabou assim por sofrer mais do que o esperado frente ao clube transmontano que foi despromovido à II Divisão B, mas lá acabou por erguer o "caneco".


+ Desp.Chaves: Rui Rego, Danilo, Lameirão, Ricardo Rocha, Eduardo, Siaka Bamba, Bruno Magalhães, Samson (61' Diego), Castanheira (61' Flávio Igor), Edu e Diop (79' Clemente)

GOLOS: Guarín (13'); Falcao (23'); Clemente (85')

+ FC Porto: Hélton, Miguel Lopes (62' Cristian Rodriguez), Rolando, Bruno Alves, Álvaro Pereira, Fernando, Raul Meireles (46' Tomás Costa), Guarín (72' Valeri, 72), Belluschi, Hulk e Falcao

Jesualdo Ferreira, treinador do FC Porto, assume que «é um resultado que ninguém esperava», salientando que a sua equipa queria «fazer mais golos». O técnico trata de elogiar o adversário, destacando que chegou ao Jamor «com uma dignidade que outras equipas de maior dimensão não têm». «Criaram problemas ao FC Porto, sobretudo na segunda parte, que na primeira fomos melhores e falhámos vários golos», atesta.

Endereçando um «abraço sincero» ao Chaves, à cidade e «a todos os transmontanos», Jesualdo congratula-se por ter visto «o Estádio Nacional quase cheio num jogo que não foi muito prestigiado». «Vi primeiras páginas em que a Taça de Portugal não existia, com alguma mágoa, percebi que a comunicação social não promoveu este espectáculo», lamenta.

A partida fica marcada pela expulsão de Bruno Alves aos 93 minutos, com o segundo cartão amarelo, isto depois de o Chaves ter perdido Ricardo Rocha (91') também com uma segunda cartolina amarela. O capitão azul-e-branco confessa que sai «triste pelo que se passou». «Um golo invalidado injustamente e depois sou expulso desta maneira», aponta o central, frisando que «os críticos têm de responsabilizar as pessoas» e que vai «triste para casa, muito magoado com esta arbitragem».


Foto: fpf.pt


Notícias: Taça de Portugal