Verdade desportiva estragada

O campeonato 2014/15 está irreversivelmente marcado.

O campeonato 2014/15 está irreversivelmente marcado por uma inclinação equivalente à escadaria do Bom Jesus (mas o de Braga), tal é o nível de inclinação. Sou Portista, e independente do que aconteça no final do campeonato, mesmo que um semi milagre desse o título ao FCP, nunca esqueceria a vergonha que foi desde já a verdade desportiva desta primeira volta.

Torna-se tão difícil encontrar uma jornada em que o Benfica não tenha tido lances a favor de penáltis inexistentes, golos em fora de jogo validados ou expulsões que ajudaram o que estava a ser difícil, quanto tentarmos morder o nosso rabo correndo atrás dele em volta a uma mesa redonda.

Quando chegámos à 10.ª jornada o histórico já era tal que, sem facciosismo, o Benfica sem ajudas arbitrais estaria em 4.º ou 5.º lugar. Claro que quando se chega ao FC Porto-Benfica, ter 3 pontos de vantagem quando poderiam ter de jogar para ganhar é completamente diferente. Mas isso para os Portistas adeptos exigentes não serve de consolação, e por isso não se assistiu a um coro de carpideiras sobre esse contexto, porque percebemos que um plantel como o do FCP este ano tinha a obrigação de ganhar tranquilamente a este Benfica, que em jogo jogado está muito abaixo de FC Porto, Sporting e até do Braga.

Mas aqui estamos quase no fim da 1.ª volta, com o Benfica com 6 pontos de avanço do FC Porto e 10 do Sporting. Só quem não quer ser sério não percebe que este cenário é de total farsa, e faz-nos acreditar na célebre frase de L.F. Vieira... “ter lugares na Liga é mais importante do que ter boas equipas”...

Nada disto apaga os erros dos adversários FC Porto e Sporting, que tinham a obrigação de não terem cometido erros primários em vários jogos. Agora, querer branquear a farsa de um clube estar com 6 pontos de avanço ganhando jogos imerecidamente contra Rio Ave, Moreirense, Estoril, Boavista, Gil Vicente e alguns outros que me terei esquecido, é atirar areia aos olhos de adeptos imparciais, mesmo considerando que eu possa estar incluído nos restantes parciais. É tão evidente que só fanáticos conseguem rebater.

Basta ver a seguinte comparação para se perceber da injustiça da classificação: o FCP, sempre que jogou menos bem acabou por perder pontos (Boavista, Sporting, Benfica e Guimarães, onde fomos escandalosamente roubados); o Benfica, em todos os jogos que mencionei atrás jogou mal e por penáltis, foras de jogo, ou expulsões acabou por ganhar. Agora, como dizia o Guterres, é só fazer as contas...